22 Jan. 1944

É criando em Washington o “War Refugee Board”

20 Mar. 1944

Telegrama n.º 17 da Legação de Portugal em Budapeste para o MNE informando da ocupação alemã da Hungria: “… contingente alemão sem encontrar resistência atravessou fronteira húngara dirigindo-se Budapeste. Horthy foi Alemanha”.

(AHD – Cifra, Colecção de telegramas recebidos Budapeste)

24 Mar. 1944

Declaração pública de Roosevelt avisando o Governo húngaro para que não participe na perseguição de judeus e de outros

24 Mar. 1944

Telegrama n.º 19 da Legação de Portugal em Budapeste para o MNE informando sobre a constituição do novo governo húngaro, presidido por Sztojay, ex-Embaixador da Hungria em Berlim e pro-alemão, com membros de extrema direita e nacionais socialistas e que a “Gestapo exerce perseguições politicas prendendo pessoas de categoria e até membros parlamento.

(AHD – Cifra, Colecção de telegramas recebidos Budapeste)

24 Mar. 1944

Telegramas n.º 8 e 9 expedidos do MNE para a Legação de Portugal em Budapeste pedindo informação sobre se o novo governo foi nomeado em termos constitucionais pelo Regente; sobre impressões e atitudes, representantes diplomáticos neutros e mandando o Ministro de Portugal “proceder máxima prudência e reserva relativamente ao novo governo até podermos aqui ajuizar se governo legal ou simples facto”.

(AHD – Cifra, Colecção telegramas expedidos Budapeste)

28 Mar. 1944

Telegrama n.º 20 da Legacão de Portugal em Budapeste para o MNE explicando que as deficiências constitucionais do novo governo podem ser supridas pela manipulação das leis de excepção aplicáveis em tempo de guerra, nomeadamente no que se refere à questão semita.

(AHD – Cifra, Colecção telegramas recebidos Budapeste)

28 Mar. 1944

Telegrama n.º 10 expedido do MNE para a Legação de Portugal em Budapeste chamando a Lisboa o Ministro português, “sem demora”.

(AHD – Colecção telegramas expedidos Budapeste)

5 Abr. 1944

Telegrama n.º 24 da Legação de Portugal em Budapeste para o MNE informando sobre os bombardeamentos aéreos da capital e da publicação dos “decretos ao abrigo dos quais indivíduos raça judaica serão vexados, perseguidos e espoliados”.

(AHD – Cifra, Colecção telegramas recebidos Budapeste)

11 Abr. 1944

Telegrama n.º 27 da Legacão de Portugal em Budapeste para o MNE comunicando o aluguer de uma casa para a Legacão em Galgagyoerk, a
50 Km de Budapeste e informando que “ao Consulado afluem centenas de indivíduos de países sem representação neste país solicitando protecção nosso Cônsul. Continuarei a recusá-la salvo se receber instruções em contrário de V. Exª… Tudo isto a par das perseguições políticas e questão semita, agrava sobremaneira a situação. Sei que pessoas do Ministério dos Negócios Estrangeiros a quem dissera ir a Lisboa conferenciar e gozar licença a que tenho direito interpretaram tal notícia caso não venha Secretário para me substituir, como sintoma de interrupção relações diplomáticas com actual Governo. Certo que V. Exª não deseja que tal impressão se mantenha tenho afirmado que aguardarei chegada Secretário com atribuição Encarregado de Negócios”.

(AHD – Cifra, Colecção telegramas recebidos Budapeste)

13 Abr. 1944

Em Lisboa, Oliveira Salazar recebe o representante americano a quem manifesta desagrado pelo discurso do S.E. Cordell Hull sobre “posição de neutros medrosos e o fornecimento de matérias estratégicas à Alemanha”

15–17 Abr. 1944

Relatório da Legação da Hungria em Lisboa ao MNE sobre os acontecimentos que tiveram Iugar na Hungria entre 19 e 23 de Março de 1944, descrevendo pormenorizadamente o encontro de Horthy com Hitler e Nota da mesma Legação contestando a legalidade do Governo Sztojay instalado pelos alemães.

(AHD – 2º P., A. 47, M 157)

23 Abr. 1944

Telegrama n.º 14 expedido do MNE para a Legação de Portugal em Budapeste avaliando a situação político-militar na Hungria, teorizando sobre a reciprocidade diplomática e acrescentando: “em todo o caso desenrolar acontecimentos entrada tropas alemãs constituirão novo Governo não parecem ter obedecido mínimo regularidade formal
e por esse motivo mantemos deliberação chamar Vexa. Lisboa para informação Governo, enviando um Secretário para tomar conta
Legação … Representação por Secretário Encarregado Negócios marca actual diminuição independência Estado húngaro”. Indica-se intenção de manter representação da Hungria em Lisboa igualmente a nível de Encarregado de Negócios.

(AHD – Cifra, Colecção telegramas expedidos Budapeste)

27 Abr. 1944

O Núncio Apostólico em Budapeste protesta junto do MNE húngaro contra a política anti-judaica do Governo

28 Abr. 1944

Parte para Auschwitz o primeiro comboio de judeus húngaros

6 Mai. 1944

Telegrama n.º 44 da Legacão Portugal em Budapeste para o MNE relatando “… grave ocorrência: agentes Gestapo ou de polícia húngara entraram violentamente cinco horas de manhã 28 de Abril casa campo onde recentemente instalei Legação por causa de bombardeamentos… bando pretensos malfeitores apreendeu pessoas hóspedes de Legação e quando estas declararam… desejar voltar Legação não lhes foi permitido e foram forçados acompanhá-los polícia central de Budapeste. Opus-me energicamente esta detenção alcançando algumas horas depois liberdade tais pessoas. Mesmo dia ocorrência apresentei Primeiro-Ministro solene indignado protesto revoltante atentado princípio extraterritorialidade”.

(AHD – Cifra, Colecção telegramas recebidos Budapeste)

6 Mai. 1944

Telegrama n.º 20 expedido do MNE para a Legação de Portugal em Budapeste dizendo que “Governo lamenta desacato Legação sobre qual não pode em todo o caso fazer completo juízo sem saber o que parece não ter sido ainda comunicado por Vexa. Categoria e outros requisitos identidade de pessoas hóspedes ou refugiadas Legação. É possível de desrespeito esteja relacionado com esse facto… Actuais condições relembro determinação de nenhum visto ser concedido sem autorização Ministério”.

(AHD – Colecção telegramas expedidos Budapeste)

10 Mai. 1944

Telegrama n.º 46 da Legacão de Portugal em Budapeste para o MNE comunicando ter sido publicada uma notícia insultuosa contra o Ministro Sampaio Garrido, motivada pela nota de protesto apresentada devido à invasão das instalações da Legação; este telegrama sugere ainda que o Ministro da Alemanha em Lisboa seja informado atentado contra a Legação de Portugal na Hungria concluindo com a informação que “ao abrigo de medidas semitas estão sendo praticadas as mais horríveis crueldades. Os crimes multiplicam-se dia a dia contra judeus contra nobres e cristãos”.

(AHD – Cifra, Colecção telegramas recebidos Budapeste)

10 Mai. 1944

Telegrama n.º 49 da Legação de Portugal em Budapeste para o MNE dando informações sobre as “12 pessoas hospedadas na casa Legação Galgagyoerk, são todas católicas embora algumas delas de origem judaica. Entre elas, refugiados por motivo dos bombardeamentos e perseguições políticas, encontra-se um membro da Alta Câmara húngara, um Ministro Plenipotenciário húngaro, um sobrinho do Ministro da Hungria no Japão e uma cunhada do Barão Rothschild de Londres.
Devo informar Vexa. que outras Legacões países neutros procedem
de forma análoga”.

(AHD – Cifra, Colecção telegramas recebidos Budapeste)

11 Mai. 1944

Telegrama n.º 22 expedido do MNE para a Legacão de Portugal em Budapeste dizendo “se por motivos humanidade a que Governo português não quer faltar foi concedido asilo a refugiados políticos ou em perigo por situação destaque motivos rácicos Vexa. deveria ter avisado Ministério para receber instruções sobre facto que envolve responsabilidades para Governo português e nos habilitar agir caso necessidade. Do teor [telegrama] n.º 49 deduz-se haver pessoas nessas condições, outras que serão apenas hóspedes Legação. Distinção entre umas e outras tem de ser rigorosamente feita. Encarregado de Negócios … deverá manter asilo verdadeiros refugiados políticos até que Governo inteirado todos pormenores do caso possa dar instruções precisas e definitivas”.

(AHD – Colecção telegramas expedidos Budapeste)

14 Mai. 1944

Início das deportações em larga escala dos judeus das províncias húngaras

15 Mai. 1944

Novo protesto do Núncio Apostólico contra as deportações

4 Jun. 1944

Roma é libertada pelos Aliados

Mai./Jun. 1944

Relatório sobre os campos de concentração de Birkenau e Auschwitz.
(Documento entregue em mão por Teixeira Branquinho, Encarregado de Negócios de Portugal em Budapeste, ao Secretario Geral do MNE, em Novembro de 1944)

(AHD – 2º P., A. 49, M 112)

5 Jun. 1944

Telegrama n.º 62 da Legação de Portugal em Budapeste para o MNE comunicando a partida do Ministro Sampaio Garrido para Portugal via Suíça.
(a partir desta data assume a gerência da Legacão o Encarregado de Negócios, Teixeira Branquinho)

(AHD – Cifra, Colecção telegramas recebidos Budapeste)

6 Jun. 1944

Desembarque Aliado na Normandia

7 Jun. 1944

437 000 judeus húngaros já enviados para Auschwitz. Sobravam 250 000 judeus de Budapeste, os homens nos batalhões de trabalho e os convertidos tentando escapar à deportação

8 Jun. 1944

Portugal comunica suspensão do fornecimento de volfrâmio aos beligerantes

15 Jun. 1944

Telegrama n.º 29 expedido do MNE para a Legação de Portugal em Budapeste autorizando a concessão de asilo a novos refugiados judeus
na casa da Legação em Galgagyoerk, e mandando que seja enviada ao MNE por telegrama a lista completa dos refugiados, sua nacionalidade
e qualidade.

(AHD – R.N.P., 2º P., A. 49, M 112)

16 Jun. 1944

Telegrama confidencial n.º 69 da Legação de Portugal em Budapeste para o MNE informando do agravamento da perseguição aos judeus, principalmente os da província, e da forma desumana como são deportados para a Alemanha.

(AHD – Cifra, Colecção telegramas recebidos Budapeste)

19 Jun. 1944

Telegrama n.º 73 da Legação de Portugal em Budapeste para o MNE sobre a possibilidade de saída de alguns dos refugiados protegidos da Legação integrando a prevista evacuação da missão argentina e ponderando a conveniência de concessão de passaportes consulares “exclusivamente com o objectivo de facilitar aos refugiados a saída da Hungria caducando a validade passaportes logo que cheguem a Portugal”.

(AHD – Cifra, Colecção telegramas recebidos Budapeste)

20 Jun. 1944

Telegrama n.º 31 expedido do MNE para a Legação de Portugal em Budapeste: “nossa orientação permanece procurar salvar pessoas que por motivos perseguição política se acolheram protecção Legação de Portugal. [Se] é possível obter saída refugiados com grupo missão argentina autorizo concessão passaporte consular colectivo ou individual para entrada em Portugal, sem atribuições porém nesses documentos
de nacionalidade portuguesa”.

(AHD – R.N.P., 2º P., A. 49, M 112)

21 Jun. 1944

Telegrama pessoal do Secretário Geral expedido para o Ministro de Portugal em Berna solicitando que transmita ao Ministro Sampaio Garrido que o Encarregado de Negócios de Portugal em Budapeste tem instruções para proteger e facilitar, até onde possível, a saída do país dos refugiados que se encontram na Legação na Hungria.

(AHD – Cifra, Colecção telegramas expedidos Berna)

21 Jun. 1944

Telegrama pessoal do Ministro de Portugal em Berna, transmitindo o seguinte telegrama de Sampaio Garrido para o Secretário Geral do MNE: “apelo para tua bondade rogando concessão passaporte consular refugiados na Legação os quais dispõem de meios necessários manter-se Portugal. Abraço afectuoso”.

(AHD – Cifra, Colecção telegramas recebidos Berna)

24 Jun. 1944

Telegrama confidencial n.º 79 da Legação de Portugal em Budapeste para o MNE comunicando que o Núncio Apostólico informara ter entregue ao Governo húngaro “sem resultado algum, duas notas de protesto contra desumanas perseguições judeus”.

(AHD – Cifra, Colecção telegramas recebidos Budapeste)

25 Jun. 1944

Papa implora ao Regente Horthy que poupe os judeus

25 Jun. 1944

Telegrama n.º 82 da Legação de Portugal em Budapeste para o MNE referindo Nota do Ministério dos Negócios Estrangeiros da Hungria convidando a Legação a repatriar até ao fim do mês todos os judeus portugueses; o telegrama refere ainda não existir nenhum judeu registado no Consulado de Portugal em Budapeste, e propõe-se tratar como tal alguns dos protegidos da Legação.

(AHD – R.N.P., 2º P., A. 49, M 112)

26 Jun. 1944

Conselho de Ministros húngaro aprova a saída da Hungria de 7 800 judeus. 7 000 tinham papéis para a Palestina arranjados por mediação Suíça e os restantes tinham papéis de protecção suecos, portugueses ou outros. Palestine Office persuade o vice-cônsul da Suíça a emitir papéis de protecção que seriam depois copiados por Wallenberg e outros neutros. Embaixador suíço transmite ao Governo húngaro sério aviso americano contra deportações

26 Jun. 1944

Telegrama confidencial n.º 35 expedido do MNE para a Legação de Portugal em Budapeste complementando instruções de ordem geral sobre refugiados: “Um ponto há que V. Sr.ª não deve perder de vista é que dentro desejo de salvar maior numero de vidas possível e minorar sofrimentos pessoas acusadas únicas culpas raciais ou políticas, não devemos estender protecção a número tal que sem beneficiar uns venha afinal a traduzir-se em prejuízo de outros e do próprio princípio do asilo diplomático e da protecção que temos dispensado”.

(AHD – Cifra, Colecção telegramas expedidos Budapeste)

27 Jun. 1944

Telegrama n.º 23 do Ministro Sampaio Garrido

(em Berna)

para o Secretário Geral do MNE dando conta que aguarda autorização alemã para poder atravessar a França de regresso a Portugal e dizendo, quanto à situação na Hungria: “certamente Encarregado de Negócios já te informou boa vontade Primeiro-Ministro húngaro mas duvido muito êxito sem intervenção do Governo português junto do Governo alemão…
Da tua boa vontade e decisiva influência depende a vida refugiados cuja situação se torna cada vez mais angustiosa”.

(AHD – Cifra, Colecção telegramas recebidos Berna)

28 Jun. 1944

Telegrama n.º 88 da Legação de Portugal em Budapeste para o MNE comunicando reactivação dos bombardeamentos aéreos americanos, interpretados pelo Governo húngaro como represália pela deportação de judeus “em plena actividade preparativos nesta capital”.

(AHD – Cifra, Colecção telegramas recebidos Budapeste)

30 Jun. 1944

O Rei Gustavo V da Suécia envia telegrama ao Regente Horthy para salvar o resto dos judeus em nome da humanidade e do bom nome da Hungria

5 Jul. 1944

Telegrama n.º 93 da Legação de Portugal em Budapeste para o MNE dando pormenores sobre a actividade anti-judaica do Governo húngaro, concluindo: “a estas humilhações segue deportação exterminação local ignorado já efectuado províncias e subúrbios Budapeste, constando que até ao fim do mês corrente se concluirá deportação desta capital”.

(AHD – Cifra, Colecção telegramas recebidos Budapeste)

7 Jul. 1944

O Regente Horthy manda suspender as deportações

7 Jul. 1944

Telegrama pessoal do Secretário Geral do MNE para o Ministro Sampaio Garrido (em Berna) fazendo-lhe ver que as instruções que transmite directamente para a Legação em Budapeste só podem “perturbar procedimento Encarregado de Negócios que se tem mostrado zeloso e tem de executar instruções directas do Governo”.

(AHD – Cifra, Colecção telegramas expeditos de Berna)>/h6>

9 Jul. 1944

Raoul Wallenberg chega a Budapeste

12 Jul. 1944

Telegrama n.º 38 expedido do MNE para a Legação de Portugal em Budapeste comunicando que o Encarregado de Negócios da Hungria em Lisboa fora chamado ao Ministério e que o Secretário Geral lhe transmitira que as diligências do Encarregado de Negócios português em Budapeste a favor dos refugiados, “representavam não só interesse pessoal Legação Portugal mas interesse Governo português pelo assunto que deste modo apoiam”.

(AHD – Cifra, Colecção telegramas expedidos Budapeste)

12 Jul. 1944

Telegrama n.º 39 expedido do MNE para a Legação de Portugal em Budapeste autorizando a concessão de asilo a Madame Kende, avó da esposa de um Senador americano, por recomendação do Ministro Sampaio Garrido.

(AHD – R.N.P., 2º P., A. 49, M 112)

15 Jul. 1944

Telegrama n.º 42 expedido do MNE para a Legação de Portugal em Budapeste autorizando a concessão de suportes consulares portugueses aos refugiados que pediram protecção ao Governo português e recomendando que qualquer documento dirigido ao Ministro da Alemanha “deve evitar cuidadosamente nacionalidades e alusão a refúgio Legação que deve ser substituído por fórmula mais vaga como que pediram protecção Governo Português para poderem dirigir-se território português”; este telegrama ordena ainda ao Encarregado de Negócios “não deixar supor tomarmos compromisso aceitar novo Ministro [da Hungria em Lisboa] em troca saída refugiados, questões estas inteiramente distintas”.

(AHD – Cifra, Colecção telegramas expedidos Budapeste)

25 Jul. 1944

Telegrama pessoal do Secretário Geral do MNE para o Ministro de Portugal em Berna pedindo-lhe que sensibilize o Ministro Sampaio Garrido, recordando-o “concessões numerosas refúgio foram feitas sem consulta prévia nem comunicação posterior ao Governo português cuja responsabilidade Ministro assim envolvia. Só depois incidente violação sua casa aqui se soube do que realmente se passava. Este Ministério tem contudo feito desde início máximos esforços para obter saídas refugiados e Encarregado de Negócios tem instruções neste sentido e tem praticado diligências acertadas que tenho apoiado junto representante Hungria em Lisboa. É porém inconveniente e impossível acção Legacão Portugal Budapeste ser dirigida por instruções ou sugestões de Berna… se algumas tem que apresentar remetam-nas para aqui”.

(AHD – Cifra, Colecção telegramas expedidos Berna)

26 Jul. 1944

Carta de André Wadianer, antigo Ministro da Hungria em Lisboa, comunicando um protesto feito pelo Comité de Ministros Húngaros contra o Governo ilegal de Budapeste e a perseguição aos judeus.

(AHD – 2º P., A. 47, M 157)

28 Jul. 1944

Telegrama n.º 116 da Legação de Portugal em Budapeste para o MNE relativa à circular distribuída pelo Ministério dos Negócios Estrangeiros húngaro informando que a pedido da Cruz Vermelha sueca, da Comissão de Emigração para a Palestina e da Comissão de Refugiados de Guerra o Governo húngaro tomou várias medidas com o fim de diminuir o número ou de suavizar o tratamento dos judeus abrangidos pela legislação anti-semita, concluindo “segundo informações reservadas colhidas no meio oficial é de cerca de dez mil o número de judeus beneficiado. Há 300 mil judeus em Budapeste. Na província já não existe sinal de um e consta que o saneamento judaico nesta capital, provisoriamente suspenso, ou pelo menos muito atenuado, recomeçará em breve”.

(AHD – Cifra, Colecção telegramas recebidos Budapeste)

30 Jul. 1944

Telegrama n.º 117 da Legacão de Portugal em Budapeste para o MNE sobre as dificuldades levantadas pelas autoridades húngaras e alemãs para a saída dos refugiados acolhidos na Legação.

(AHD – R.N.P., 2º P., A. 49, M 112)

[s.d.]

Informações confidenciais sobre a situação dos judeus da Hungria, nos inícios do mês de Agosto de 1944 e Apontamento sobre a situação dos judeus da Hungria antes e depois de 19 Março 1944 e “Aide-mémoire” dirigido à Legacão de Portugal em Budapeste sobre a situação dos judeus da Hungria, dando conta da acção dos representantes diplomáticos dos restantes países neutros e da Cruz Vermelha Internacional para a protecção dos judeus, sugerindo uma série de medidas concretas e assegurando que as despesas de socorro ficariam a cargo da comunidade judaica.
(Documentos entregues em mão por Teixeira Branquinho, Encarregado de Negócios de Portugal em Budapeste, ao Secretário Geral do MNE, em Novembro de 1944; tudo indica que estes documentos se integraram no esforço de sensibilização levado a cabo pela organização judaica presidida por Otto Komoly, junto dos representantes países neutros e da Cruz Vermelha Internacional e Budapeste).

(AHD – 2º P., A. 49, M 112)

.

6 Ago. 1944

Telegrama n.º 125 da Legação de Portugal em Budapeste para o MNE dizendo “problema racial entrou na sua fase crítica. Autoridade alemã só consentira saída Hungria semitas beneficiados medidas a que se refere o meu tel. 116, se Governo húngaro promover a deportação dos restantes para campo de trabalho na Alemanha. Esta imposição levou Governo húngaro a multiplicar grandemente o número de beneficiados, parte dos quais emigrará principalmente para a Palestina e outra parte formará campo de concentração na Hungria.”

(AHD – R.N.P., 2º P., A. 49, M 112)

7 Ago. 1944

Telegrama n.º 126 da Legação de Portugal em Budapeste para o MNE informando que Ministro da Suécia “está procurando salvar grande número de semitas húngaros que de algum modo tenham ligação com Suécia, isto é, com famílias, parentes ou interesses intelectuais ou comerciais seu pais. Já apresentou… perto de 700 passaportes suecos sem indicação de nacionalidade e explicou-me que apenas cerca de 100 pessoas se destinarão efectivamente Suécia. As restantes cujo número tenciona elevar muito mais serão internadas em diferentes casas que figurarão não como dependências da Legação da Suécia mas sob a sua protecção… Julgo que esta Legação poderia proceder analogamente, pois nas actuais circunstâncias só o asilo diplomático é protecção eficiente”; esclarece que todos os encargos serão suportados pelos beneficiados.

(AHD – R.N.P., 2º P., A. 49, M 112)

7 Ago. 1944

Telegrama n.º 58 expedido do MNE para a Legação de Portugal em Budapeste apoiando a sugestão da Legação portuguesa proceder à semelhança do Ministro da Suécia e acentuando que deve ser feito esforço no sentido de salvar o maior número possível de refugiados e acentuando que “no estado de coisas descrito por V. Sr.ª nosso esforço deve ser salvar o maior número possível dos que se acolheram a nós”.

(AHD – R.N.P., 2º P.., A. 49, M 112)

10 Ago. 1944

Telegrama confidencial n.º 129 da Legação de Portugal em Budapeste para o MNE relatando conversa com Conselheiro da Legação da Alemanha e que este aconselhara que todos os assuntos relativos a judeus fossem tratados com ele e não com o Governo húngaro; mediante o que o Encarregado de Negócios português solicita a Lisboa que apoie os seus esforços com diligências em Berlim.

(AHD – Cifra, Colecção telegramas recebidos Budapeste)

12 Ago. 1944

Telegrama confidencial n.º 131 da Legação de Portugal Budapeste para o MNE em que o Encarregado Negócios solicita autorização para conceder asilo diplomático na sua residência particular a algumas pessoas “de categoria” que lho suplicam e Telegrama n.º 62 expedido do MNE

(de resposta)

para a Legação em Budapeste dizendo “Queremos ser largos mas não ir além ponto em que excessiva largueza possa prejudicar causa dos que já estão em questão” e considerando que não convém multiplicar número de apartamentos imunes.

(AHD – Cifra, Colecção telegramas recebidos expedidos Budapeste)

12 Ago. 1944

Telegrama n.º 243 expedido do MNE para a Legação de Portugal em Berlim instruindo para que diligencie junto do Governo alemão para que este transmita ao seu Ministro em Budapeste as instruções necessárias para dar facilidades ao nosso Encarregado de Negócios naquela cidade “relativamente à protecção de certas pessoas origem semita pelas quais nos temos interessado… trata-se de refugiados na Legacão”.

(AHD – Cifra, Colecção telegramas expedidos Berlim)

14 Ago. 1944

O embaixador alemão em Budapeste informa Berlim que os húngaros decidiram recomeçar as deportações a 25 de Agosto

14 Ago. 1944

Telegrama confidencial n.º 132 da Legacão de Portugal em Budapeste para o MNE sobre a situação dos judeus que se encontram sob a protecção estrangeira: “Presentemente autoridades húngaras só aceitam protecção estrangeira semitas seus nacionais mediante apresentação qualquer espécie passaporte país protector… Problema implica portanto responsabilidade cujas futuras consequências não se podem prever e que admitem possibilidade Governo húngaro exigência justa de um dia para o outro que esses semitas partam para país protector. Sr. Ministro da Suécia não crê que autoridades alemãs os deixem sair e… recebeu instruções para manter atitude tomada. Já elevou mesmo de 700 para 3 000 o número protegidos sua Legacão… Ministro da Suíça prepara saída para Palestina Suíça e outros países de cerca de 30 000 semitas. Trabalho Nunciatura foi obter que baptizados não fossem deportados Alemanha prometendo autoridades alemãs consentir internamento campos húngaros baptizados anteriormente Agosto 1941. Todas Legacões neutras guardam também asilados”.

(AHD – Cifra, Colecção telegramas recebidos Budapeste)

15 Ago. 1944

Telegrama n.º 64 expedido do MNE para a Legacão de Portugal em Budapeste autorizando a concessão de passaportes provisórios portugueses por motivos humanitários com a reserva “não parece de aceitar números comparáveis com os que V. Sr.ª refere a respeito outros países porque além dos refugiados nossa Legação certamente só número multo reduzido poderão invocar legitimamente ligações directas Portugal e Brasil”.

(AHD – RNP, 2º P., A. 49, M 112)

15 Ago. 1944

Carta da “Federação dos Judeus da Hungria”, assinada por Otto Komoly, apelando para o auxílio do Governo Português através de autorização de entrada em Portugal dos judeus residentes na Hungria que poderão ser encaminhados para a Palestina. Em anexo telegrama da Jewish Agency de Lisboa para Otto Komoly e respectiva tradução.

(AHD – 2º P., A. 49, M 112)

19 Ago. 1944

Nota americana ao MNE solicitando o apoio dos neutros para os refugiados na Hungria e responsabilizando-se pelo seu destino.
AHD – 2º P., A. 49, M 112)

21 Ago. 1944

Cópia da Nota dos representantes dos países neutros em Budapeste ao Ministério Real Húngaro dos Negócios Estrangeiros protestando contra as deportações de judeus da Hungria, dizendo estarem informados – de fontes absolutamente seguras – do que significa a deportação na maior parte dos casos, mesmo que disfarçada sob o nome de trabalho no estrangeiro, acrescentando que novas deportações trariam o golpe de misericórdia à reputação da Hungria nos respectivos países, e que novas.

(AHD– 2º P.. A. 49, M 112)

23 Ago. 1944

Telegrama confidencial n.º 137 da Legação de Portugal em Budapeste para o MNE sobre a situação na Hungria, designadamente o cerco das tropas alemãs a Budapeste e a previsão do início das deportações dos judeus.

(AHD – Cifra, Colecção telegramas recebidos Budapeste)

24 Ago. 1944

Toma posse o Governo do General Geza Lakatos, relutante aos alemães

25 Ago. 1944

Tropas francesas comandadas por De Gaulle entram em Paris Governo português rompe relações diplomáticas com Vichy

26 Ago. 1944

Telegrama n.º 138 da Legação de Portugal em Budapeste para o MNE onde o Encarregado de Negócios dá conta que emitiu 200 passaportes sem indicação de nacionalidade e pedindo autorização para passar mais 400 passaportes provisórios portugueses a cerca de 400 famílias de judeus

(1 200 pessoas)

que se dirigem à Palestina; o Encarregado de Negócios assinala: “todos protegidos assinaram compromisso de honra que guardo Arquivo da Legação pelo qual reconhecem não ter quaisquer direitos nacionalidade portuguesa e se comprometem a nunca invocar esta protecção do Governo português para a pedirem”.

(AHD – Cifra, Colecção telegramas recebidos Budapeste)

5 Set. 1944

Telegrama n.º 143 da Legação de Portugal em Budapeste para o MNE sobre as divergências entre autoridades húngaras e alemãs quanto às perseguições aos judeus e a ameaça de extermínio total pelos alemães antes de se retirarem do país, “em última análise a tiro”.

(AHD – Cifra, Colecção telegramas recebidos Budapeste)

5 Set. 1944

Nota dos judeus de Budapeste dirigida à Legação de Portugal e demais representações dos países neutros, com excepção da Turquia, e também à Comissão da Cruz Vermelha Internacional alertando para o programa húngaro de transferência dos judeus de Budapeste para campos de trabalho.
(Documento entregue em mão por Teixeira Branquinho, Encarregado de Negócios de Portugal em Budapeste, ao Secretário Geral do MNE, em Novembro de 1944)

(AHD – 2º P., A. 49, M 112)

15 Out. 1944

O Regente Horthy anuncia na rádio que vai estabelecer um compromisso com os soviéticos. Golpe de Szalasi, nazi húngaro, que toma posse do Governo

18 Out. 1944

Telegrama n.º 176 da Legacão de Portugal em Budapeste para o MNE acerca do desrespeito pelas autoridades alemãs dos “passaportes provisórios estrangeiros, suecos e portugueses principalmente” concedidos a judeus húngaros e pedindo diligências em Berlim.

(AHD – Cifra, Colecção de telegramas recebidos Budapeste)

18 Out. 1944

Telegrama n.º 283 expedido do MNE para a Legação de Portugal em Berlim comunicando que a Legacão da Alemanha em Budapeste não reconhece a protecção dos passaportes portugueses concedidos aos judeus na Hungria e instruindo no sentido de se efectuarem diligências junto do Governo alemão para que essa situação se modifique.

(AHD – 2º P., A. 49, M 112; Cifra, Colecção telegramas expedidos Berlim)

20 Out. 1944

Telegrama n.º 178 da Legacão de Portugal em Budapeste para o MNE sobre nomeação de novo governo e situação dos judeus; Szalasi declarara na rádio que nenhuma espécie de protecção estrangeira a judeus seria tolerada e que os passaportes já concedidos seriam respeitados.

(AHD – 2º P., A. 49, M 112)

22 Out. 1944

Telegrama n.º 84 expedido do MNE para a Legação de Portugal em Budapeste instruindo o Encarregado de Negócios “a partir sem demora para Portugal comunicando simplesmente a esse Governo que foi chamado pelo seu Governo para o informar dos sucessos ocorridos. Convirá consignar que como já anteriormente foi dito aí, e fizemos dizer em Berlim, queremos crer será garantida devida protecção aos portadores passaportes portugueses e às pessoas que se achem ao abrigo casa da Legação de Portugal”.

(AHD – Colecção telegramas expedidos Budapeste)

22 Out. 1944

Recorte do “Diário da Manhã” publicando nota da Legação da Hungria
na qual declara que se mantém fiel ao Regente Horthy.
(ampliação)

(AHD – 2º P., A. 47, M 157)

22 Out. 1944

Telegrama n.º 85 expedido do MNE para a Legação de Portugal em Budapeste autorizando-a a criar uma secção da Cruz Vermelha Portuguesa naquela legação a fim de “assegurar até limites do possível socorro nossos protegidos depois partida Vossa Senhoria.”

(AHD – 2º P., A. 49, M 112)

23 Out. 1944

Telegrama confidencial n.º 286 expedido do MNE para a Legacão de Portugal em Berlim transmitindo instruções no sentido de não serem utilizados argumentos de carácter jurídico nas diligências a realizar junto do Governo alemão com vista a serem respeitados os passaportes portugueses concedidos aos judeus na Hungria: ‘’perseguição elementos semitas Hungria tem obedecido propósitos políticos e de ódios que só apreensão por reacção consequente pode talvez modificar de algum modo. É o que parece ter acontecido, talvez em seguimento protestos neutros e enérgica Nota subscrita por Núncio Apostólico e representantes potências neutrais…Nosso propósito minorar já que de todo não podemos impedi-las consequências perseguição relativamente todos quantos se acolheram protecção portuguesa. O desejo que isso fique expresso em diligências junto país ocupante tanto maior por ter sido chamado Lisboa nosso Encarregado de Negócios Budapeste a fim informar situação aquele país em que de longe parece ter desaparecido todo Governo com características constitucionais e rnesmo nacionais”.

(AHD – Cifra, Colecção telegramas expedidos Berlim)

24 Out. 1944

Telegrama n.º 187 da Legação de Portugal em Budapeste para o MNE sobre a questão do reconhecimento do novo Governo húngaro, que o Encarregado de Negócios considera de legitimidade muito duvidosa mas com o qual se vê obrigado a lidar “para tentar salvar a vida a algumas centenas de Judeus titulares de passaportes provisórios portugueses”.

(AHD – 2º P., A. 49, M 112)

24 Out. 1944

Telegrama n.º 188 da Legacão de Portugal em Budapeste para o MNE relatando conversa com o Ministro dos Negócios Estrangeiros húngaro sobre os refugiados perseguidos portadores de passaportes portugueses na qual o mesmo declarara que as concessões nesta matéria estavam ligadas ao reconhecimento do novo Governo húngaro.

(AHD – Cifra, Colecção telegramas recebidos, Budapeste)

25 Out. 1944

Telegrama n.º 191 da Legação de Portugal em Budapeste para o MNE comunicando a deportação eminente de milhares de judeus, em marchas forçadas para Viena, e informando que entre os condenados se encontram alguns portadores de passaportes provisórios portugueses.

(AHD – 2º P., A. 49, M 112)

26 Out. 1944

Telegrama n.º 198 da Legação de Portugal em Budapeste para o MNE comunicando a obtenção de vistos alemães nos passaportes portugueses de nove refugiados na Legação portuguesa desde o mês de Junho.

(AHD – 2º P., A. 49, M 112)

27 Out. 1944

Telegrama n.º 68 expedido do MNE para a Legação de Portugal em Berna instruindo para que o Ministro naquela capital diligencie para que sejam concedidos vistos alemães para trânsito até à Suíça a grupo de refugiados acolhidos na Legação em Budapeste.

(AHD – 2º P., A. 49, M 112)

27 Out. 1944

Aide-mémoire do Ministério Real dos Negócios Estrangeiros da Hungria colocando à disposição da Legação de Portugal os 698 judeus portadores de passaportes provisórios portugueses e descriminando as condições da sua emigração.

(AHD – 2º P., A. 49, M 112)

29 Out. 1944

Telegrama n.º 204 da Legação de Portugal em Budapeste para o MNE em que o Encarregado de Negócios comunica a sua partida de Budapeste “em dois automóveis diplomáticos para Bregenz, fronteira suíça, acompanhado de minha mulher, do casal Gabor, da Sr.ª Tillmann e sua filha Agnes, do Sr. Paulo Szasz e do chauffeur Victor Smick… Rogo a Vexa. o favor de dar conhecimento deste telegrama ao Ministro de Portugal em Berna e de informar que Dr. Egry não precisou visto suíço aguardando Sr. Wertheimstein esse visto em Buchs e restantes refugiados, Oscar, Rodolfo e Rosa Guttmann que concessão visto trânsito Suíça seja telegrafado urgentemente Legação Suíça de Budapeste”.

(AHD – Colecção telegramas recebidos Budapeste)

30 Out. 1944

Telegrama n.º 295 expedido do MNE para a Legação de Portugal em Berlim comunicando a partida de Budapeste do Encarregado de Negócios português e instruindo no sentido de se reiterarem as diligências para que sejam respeitados os passaportes portugueses concedidos aos judeus em Budapeste e acentuar a repercussão que teria nas relações luso-alemãs qualquer perseguição aos nossos protegidos visto se atribuir à autoridade país ocupante todas as medidas tomadas.

(AHD Cifra, Colecção telegramas expedidos Berlim)

30 Out. 1944

Telegrama n.º 342 da Legação de Portugal em Berlim para o MNE confirmando os termos da diligência a fazer junto do Governo alemão e sugerindo concertação prévia com os representantes dos países neutros naquela cidade.

(AHD – Cifra, Colecção telegramas recebidos Berlim)

31 Out. 1944

Telegrama confidencial n.º 298 expedido do MNE para a Legação de Portugal em Berlim esclarecendo que embora diligências em Budapeste referentes a procedimento para com judeus em geral tenham sido feitas em “conjunto com Núncio e outros neutros”, “diligências cada um em prol seus protegidos e seus passaportes têm sido individuais. Não nos convém para diligência aí recomendada meu 295 acção conjunta que da parte de uns pode ir além do que seria prudente e da parte de outros pode ficar aquém”.

(AHD – Cifra, Colecção telegramas expedidos Berlim)

4 Nov. 1944

Telegrama n.º 347 da Legação de Portugal em Berlim para o MNE comunicando início das conversações com o Ministério dos Negócios Estrangeiros alemão sobre a situação dos judeus húngaros protegidos pela Legação de Portugal em Budapeste, revelando a atitude de contra-informação alemã e o alheamento do Conde de Tovar, Ministro de Portugal em Berlim.

(AHD – Cifra, Colecção telegramas recebidos Berlim)
Transcrição (PDF)

4 Nov. 1944

Telegrama confidencial n.º 299 expedido de MNE para a Legação de Portugal em Berlim esclarecendo a realidade da situação.

(Cifra, Colecção telegramas expedidos Berlim)
Transcrição (PDF)

27 Nov. 1944

As deportações são interrompidas

12 Dez. 1944

Telegrama n.º 321 expedido do MNE para a Legação de Portugal em Berlim transmitindo que haviam sido presas duas crianças judias titulares de passaportes portugueses e filho do empregado da Legação e instruindo no sentido de se obter do Ministério dos Negócios Estrangeiros alemão a garantia do interesse do Ministro da Alemanha em Budapeste pelo caso.

(AHD – Cifra, Colecção telegramas expedidos Berlim)

18 Dez. 1944

Carta de Jules Gulden, Vice-cônsul de Portugal em Budapeste, Encarregado do Expediente dos Negócios da Legação de Portugal na Hungria, endereçada de Genebra, relatando a sua saída da Hungria e a situação em que ficaram os judeus protegidos pelo Governo português.

(AHD – 2º P., A. 49, M 112)
Transcrição (PDF)

1944

Relatório de Teixeira Branquinho “Missão a Budapeste” onde descreve a situação à data da sua partida de Budapeste.

(AHD – Colecção de Relatórios e Monografias)
Transcrição (PDF)

1945

Tradução de alguns trechos de uma carta recebida do Conde de Poncgraz, a quem Jules Gulden confiara a Legação de Portugal em Budapeste, dando conta do assalto, pelas SS, no dia 1 de Janeiro de 1945, da Legação e do rapto dos refugiados judeus aí acolhidos.

(AHD – 2º P., A. 47, M 157)

20 Abr. 1945

Informação/Resumo de Teixeira Branquinho descrevendo os procedimentos e a organização montada em Budapeste para apoio à protecção portuguesa aos judeus na Hungria.

(AHD – 2º P., A. 49, M 112)
Transcrição (PDF)